Pular para o conteúdo principal

Meu mordomo Jarvis

Pode-se dizer que sou um garoto de sorte, porque tenho meu mordomo Jarvis. Na verdade Jarvis é mais que meu mordomo, ele é meu amigo. Desses de verdade, que não importa o que você faça, ele sempre lhe perdoa.

Outro dia mesmo, eu gritei com ele, pouco antes de derrubar com um violento tapa, a bandeja que ele utilizava para carregar o jarro com meu suco de laranja. Em minha defesa, ele havia usado água comum no lugar da Aurum 79. Qualquer um teria perdido a paciência, certo?

Mas Jarvis é um doce, não há como não se encantar com ele. Sua dedicação e lealdade são de partir o coração. Ao auge de seus 83 anos, ele demonstra disposição para ficar até tarde me ajudando na lição de casa, ou passar horas a finco na cozinha, preparando os mais diversos e deliciosos pratos que alguém poderia desejar.

 Jarvis é muito dedicado e me mima de formas inimagináveis. Outro dia ele se deitou em uma poça de lama, para que eu pudesse caminhar pela calçada, sem sujar meus caros calçados. Jarvis seu bobo, eu poderia ter dado a volta.

Ele cuida de mim, lava minhas roupas, de noite me conta histórias e me cobre com uma coberta quentinha. Jarvis é perfeito. Não preciso de mais ninguém. Que outra pessoa ficaria acordado 24 horas, apenas para ficar a disposição de todas as minhas necessidades.

Jarvis só tem um único problema. Ele acha que sabe das coisas. Vive inventando histórias doidas e chatas. As vezes ele age como se eu não fosse muito rico, ou inteligente.

Você não acreditaria na petulância que ele teve em me dizer. "Jovem mestre, eu sou um fruto de sua imaginação. Uma tentativa de sua mente, em resistir ao fato de você ser órfão e morar debaixo de um viaduto."

Jarvis bobo, até parece que eu iria querer morar em um mundo onde eu passo fome e não tenho ninguém. Tenho muito a ensinar a Jarvis ainda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relação abusiva – Relato real de um homem.

Predadores não escolhem suas presas por gênero. E sim! Eu sou um homem, já fui vítima de uma relação abusiva e este é um relato real. Relato que ponderei muito antes de escrever e até mesmo tornar público, não só pelos envolvidos, mas também por mostrar um ponto fraco... uma fragilidade pessoal.
Cheguei à conclusão que não poderia ficar quieto depois de ser procurado eletronicamente por um grupo considerável de pessoas, predominantemente mulheres, que me relataram todo tipo de abuso, começando pelo emocional, físico e também sexual. O que todos tinham em comum? Esses abusos foram praticados por seus parceiros, ou parceiras.

Cordão negro

[*]Texto originalmente escrito como roteiro para um curta, que nunca cheguei a gravar. Adaptado como crônica, baseado nas manifestações que antecederam a copa no Brasil.pay per click


Em meio a uma espessa fumaça e sons de explosões, uma figura vestindo uma máscara de gás corria desesperada em busca de abrigo. Sem conseguir enxergar direito o que tinha pela frente, o sujeito entrou de forma abrupta na primeira porta que encontrou aberta. A porta principal de um pequeno edifício comercial.
Apesar de parecer uma causalidade, o indivíduo não estava em um lugar estranho a si. Na verdade era muito familiar, ele já esteve ali antes. Se sentia seguro, longe das bombas, de todo aquele gás e da confusão que estava fora do controle.
Ele encostou na parede, e se deu ao luxo de respirar fundo por alguns segundos. Em paz, como se não houvesse o caos que há lá fora, sozinho…
Não tão sozinho…
De súbito o sujeito percebeu que não está exatamente só. Ali também, protegido da fumaça, um PM do batalhão e…

O amor é uma escolha! E isso é maravilhoso para você...

Eu acredito de verdade no amor! Confesso que sou o típico romântico incorrigível, do tipo que faz planos e tenta fazer do dia de hoje o dia mais especial da vida de alguém. Mesmo depois de sofrer toda sorte de decepções, porque essa é uma consequência possível de todo romance, ainda insisto em levantar a cabeça, seguir em frente e continuar me apaixonando pela vida, pelo dia, pelas flores e também, por que não (?), por pessoas.
Eu já acreditei naquele amor do Walt Disney, perfeito, predestinado, ardente, quase mágico... Mas, com o tempo nós vamos descobrindo que quando se trata de sentimentos, é necessário evoluirmos nossos conceitos. O amor existe, mas não é necessariamente cego, nós é quem confundimos ele com outros sentimentos.
O amor é muito mais bonito e forte, por dois motivos que explicarei mais à frente nos tópicos. Primeiro, ele é uma das características mais forte de todas as relações, a ponto de nos melhorar como pessoa. E o segundo motivo, embora não pareça, o amor não é…