Pular para o conteúdo principal

Sinopse do livro "Quando Nerds encontram Orcs" - Série Role Play.

Para quem ainda não soube, estou publicando meu próximo livro pela editora Buriti. É minha primeira obra de fantasia, onde não só é inspirada nos ambientes de RPG, como os protagonistas são rpgistas.

Segue abaixo a possível sinopse da quarta capa. Digo possível, porque está em pré-produção e ela poderá sofrer algumas alterações.

Elfos, orcs e dragões. Que nerd nunca sonhou em ficar frente a frente com essas criaturas? Heitor nunca, mas ele não teve a oportunidade de fazer esta escolha.
Um estranho grupo de seis amigos é lançado em uma inesperada e insólita aventura, quando um obscuro artefato é acidentalmente ativado durante uma partida de RPG.
Agora, eles se veem dentro dos corpos de seus personagens de jogo e lutando pela sobrevivência, enquanto tentam resolver a mais estranha partida de RPG, da qual já participaram. Otakus, nerds e geeks, terão que se unir, em busca de uma saída daquele lugar.
Em meio a grandes referências aos anos 80 e 90, Role Play fala mais do que de fantasia, mas sim do amadurecimento interno do qual todos nós passamos ou passaremos algum dia. Todos possuímos nossos dragões, mas será que podemos encara-los?

A medida que a editora for liberando, postarei a capa e mais informações sobre esta obra.

Um grande abraço e até a próxima.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relação abusiva – Relato real de um homem.

Predadores não escolhem suas presas por gênero. E sim! Eu sou um homem, já fui vítima de uma relação abusiva e este é um relato real. Relato que ponderei muito antes de escrever e até mesmo tornar público, não só pelos envolvidos, mas também por mostrar um ponto fraco... uma fragilidade pessoal.
Cheguei à conclusão que não poderia ficar quieto depois de ser procurado eletronicamente por um grupo considerável de pessoas, predominantemente mulheres, que me relataram todo tipo de abuso, começando pelo emocional, físico e também sexual. O que todos tinham em comum? Esses abusos foram praticados por seus parceiros, ou parceiras.

Cordão negro

[*]Texto originalmente escrito como roteiro para um curta, que nunca cheguei a gravar. Adaptado como crônica, baseado nas manifestações que antecederam a copa no Brasil.pay per click


Em meio a uma espessa fumaça e sons de explosões, uma figura vestindo uma máscara de gás corria desesperada em busca de abrigo. Sem conseguir enxergar direito o que tinha pela frente, o sujeito entrou de forma abrupta na primeira porta que encontrou aberta. A porta principal de um pequeno edifício comercial.
Apesar de parecer uma causalidade, o indivíduo não estava em um lugar estranho a si. Na verdade era muito familiar, ele já esteve ali antes. Se sentia seguro, longe das bombas, de todo aquele gás e da confusão que estava fora do controle.
Ele encostou na parede, e se deu ao luxo de respirar fundo por alguns segundos. Em paz, como se não houvesse o caos que há lá fora, sozinho…
Não tão sozinho…
De súbito o sujeito percebeu que não está exatamente só. Ali também, protegido da fumaça, um PM do batalhão e…

O amor é uma escolha! E isso é maravilhoso para você...

Eu acredito de verdade no amor! Confesso que sou o típico romântico incorrigível, do tipo que faz planos e tenta fazer do dia de hoje o dia mais especial da vida de alguém. Mesmo depois de sofrer toda sorte de decepções, porque essa é uma consequência possível de todo romance, ainda insisto em levantar a cabeça, seguir em frente e continuar me apaixonando pela vida, pelo dia, pelas flores e também, por que não (?), por pessoas.
Eu já acreditei naquele amor do Walt Disney, perfeito, predestinado, ardente, quase mágico... Mas, com o tempo nós vamos descobrindo que quando se trata de sentimentos, é necessário evoluirmos nossos conceitos. O amor existe, mas não é necessariamente cego, nós é quem confundimos ele com outros sentimentos.
O amor é muito mais bonito e forte, por dois motivos que explicarei mais à frente nos tópicos. Primeiro, ele é uma das características mais forte de todas as relações, a ponto de nos melhorar como pessoa. E o segundo motivo, embora não pareça, o amor não é…